NEWS

Nutrição Funcional: Você é o que você come

Atire a primeira pedra quem nunca tentou uma dieta rápida e milagrosa do tipo “Emagreça cinco quilos em uma semana com a sopa mágica”. De fato, todas essas matérias e artigos sobre dietas da moda chamam a atenção. Principalmente porque, na maioria das vezes, procuramos soluções imediatas para nossos problemas.

Infelizmente, essas dietas não são efetivas em longo prazo e muito menos oferecem todos os nutrientes necessários que precisamos. Portanto, se elas não funcionam, como fazer para perder os quilinhos indesejáveis?

A verdadeira resposta está na reeducação alimentar. E isso todos nós já estamos cansados de saber, não é? A novidade fica por conta da Nutrição Funcional, que vem ganhando cada vez mais adeptos e pacientes à procura do corpo perfeito. Com o intuito de cuidar do equilíbrio do organismo, a nutrição funcional começou a ser difundida para ajudar nos sintomas e prevenir doenças comuns, que antes eram tratadas apenas com medicamento.

Através de uma dieta funcional, é possível tratar desordens do organismo, incluindo problemas gastrointestinais, inflamatórios, imunológicos, neuroendócrinos e até distúrbios emocionais.

Para responder algumas perguntas sobre a Nutrição Funcional, convidamos a nutricionista Bárbara Rescalli, da Clínica Reability.

Qual é o grande segredo da nutrição funcional?
O tratamento nutricional funcional foge de todas as dietas padronizadas. Na verdade, essa reeducação alimentar é uma especialidade dentro da Nutrição. Nessa prática, procuramos definir uma dieta realmente individualizada para cada paciente. Diferente das dietas da moda, a nutrição funcional trabalha com a individualidade bioquímica.

Como a dieta é elaborada?
Antigamente, as dietas eram elaboradas com a finalidade de melhorar doenças cardiovasculares ou diabetes, por exemplo. Hoje em dia, com a nutrição funcional, os planos alimentares procuram equilibrar o organismo do paciente. Levam-se em consideração todos os sintomas que o indivíduo apresenta, uma vez que essa é a principal forma que o organismo se comunica.

Como os alimentos são escolhidos para cada um dos pacientes?
Nem todo o alimento faz bem para todo mundo. É necessário descobrir quais são as principais falhas do organismo e quais alimentos podem ajudar o paciente. Primeiro fazemos uma pesquisa no histórico familiar e anamnese alimentar do indivíduo. Depois todas as variáveis são estudadas e identificadas no tratamento com a Nutrição Funcional. Esta é, na verdade, a chave da dieta que busca a elaboração dos cardápios através do individualismo.

Que tipos de doenças podem ser tratadas com a nutrição funcional?
É possível melhorar o funcionamento geral do organismo e a qualidade de vida do paciente. Entre os sintomas mais frequentes estão as dores de cabeça, pele ressacada e acne, queda de cabelo, tensão pré-menstrual, dores pelo corpo, elevada produção de gases, alteração de humor, rinite, celulite, intestino preso ou diarreia, aftas, cansaço e fadiga. Embora algumas das opções acima não sejam identificadas como doenças, elas atrapalham o sentido real da palavra “saúde”, ou seja, o perfeito bem-estar físico, mental e social do paciente.